Brasil LOG terá participação da Prefeitura de Jundiaí, Fatec, Google e Ciesp Jundiaí

A maior feira do setor logístico do interior paulista, a Brasil LOG iniciou suas atividades em 2010 e desde lá vem crescendo a cada ano, com número de empresas participantes e principalmente estendendo as parcerias. Neste ano, o evento irá contar com a parceria da Prefeitura de Jundiaí, Fatec, Google e Ciesp Jundiaí.
A Faculdade de Tecnologia Deputado Ary Fossen, a Fatec Jundiaí, vai participar pela primeira vez da 5ª Brasil Log, Feira Internacional de Logística que acontece de 22 a 24 de outubro, no Parque Comendador Antônio Carbonari (Parque da Uva), em Jundiaí.
A instituição, mais bem conceituada da região segundo o Enade, terá a oportunidade de estreitar relação com as empresas do setor logístico. Com mais de 1,5 mil alunos matriculados e foco principal ao curso de logística, a Fatec irá apresentar projetos como a ‘Empresa Júnior’, site desenvolvido pelos docentes que manterá um cadastro de transportadoras e vai oferecer os dados às empresas que precisam desse serviço.
Para Cláudio Rossoni, professor e coordenador do curso Superior de Tecnologia em Logística da Fatec, a Brasil Log ratifica a importância de Jundiaí enquanto polo logístico. “Em todo o Estado, temos um gargalo no modal rodoviário. É importante repensar o modelo e partir para outros canais, como a ferrovia”, explica Cláudio, vendo na feira uma oportunidade para debater soluções.
Arnaldo Henrique Bárbaro tem 29 anos e é um dos 400 alunos de logística da Fatec. Entusiasta dos modelos hidroviário e ferroviário, está animado com a possibilidade de participar da Brasil Log. “Será super positivo ver na prática os processos das empresas do setor e avaliar qual dos modais eu mais me enquadro”, explica, pouco antes de encarar uma prova de Espanhol, acreditando que a área de logística vem crescendo bastante, mas ainda tem muito o que expandir.

Prefeitura de Jundiaí – O governo municipal também irá participar da feira apresentando aos visitantes as principais ações da atual administração nas áreas de mobilidade e transporte público, com o BRT, novas tecnologias e infraestrutura com o futuro Parque Tecnológico, geração de renda e inclusão, por meio das ações do Posto de Atendimento ao Trabalhador e do Banco do Povo, novos modais de escoamento de mercadorias, manutenção da infraestrutura logística e em como esses fatores resultam em mais qualidade de vida para a cidade e região.

Google – Outra novidade da 5º Brasil LOG será a participação confirmada de profissionais da empresa Google, por meio de parceria inédita com a Cijun (Companhia de Informática de Jundiaí). Os profissionais irão participar das palestras organizadas em parceria com a Prefeitura Municipal e irá apresentar as diversas ferramentas Google utilizadas para os negócios.  
Ciesp – O Centro das Indústrias do Estado de São Paulo terá participação importante durante a realização do 1º Encontro Itinerante de Negócios, previsto para ser realizado na segunda-feira (22). As empresas terão oportunidade de fazer a apresentação de suas atividades e assim ativar o networking, a troca de experiência e conhecimento oferecendo ótimas oportunidades para os negócios a curto, médio e longo prazo.

Sobre a Brasil LOG

A 5ª edição da Brasil LOG – Feira Internacional de Logística, acontece de 22 a 24 de outubro, no Parque Comendador Antônio Carbonari (Parque da Uva), em Jundiaí, SP. Com entrada gratuita. Idealizada e organizada pela Adelson Eventos, a feira já entrou para o calendário de muitas empresas do setor logístico de todo o país, em busca de tecnologia e ampliação da cartela de clientes, por exemplo.
O evento contará com a presença já confirmada de mais de 70 empresas, muitas delas importantes multinacionais do setor logístico dentro dos modais rodoviário, marítimo, aéreo e ferroviário. A Brasil LOG tem como objetivo oferecer oportunidades a investidores, empresários e profissionais da área da logística. São esperados mais de 8 mil visitantes nos três dias de feira.

Dados da 5ª Brasil LOG 2014

Três dias de evento; 70 empresas participantes; 8 mil visitantes; 53 mil metros quadrados;  três pavilhões cobertos; Extensa área externa; Test drive de empilhadeiras; Público qualificado; Encontro de negócios; Ciclo de palestras.
Mais informações:
Adelson Eventos
Imprensa: Flávia Alves – Jornalista
Flavia.jornalista1@gmail.com / (11) 9.7311-0669



A IWEX participa do programa LOGCOMEX da TV ABCD

A IWEX participa do programa LOGCOMEX da TV ABCD, relata a história da empresa nos 51 anos de atuação no TRC, aborda aspectos do mercado no tocante à Lei do Controle de Jornada dos Motoristas, Legislação de Produtos Perigosos, seguros e dos planos de crescimento da empresa, envolvendo uso de equipamentos com alta produtividade, segurança e de baixo custo operacional.

De acordo com o Diretor Geral da IWEX, Wander Sinigaglia, a IWEX Transportes é uma empresa especializada no transporte rodoviário de cargas especiais que requerem alta capacitação em segurança, como no transporte de produtos químicos – e que acaba de completar 51 anos de atuação no TRC. Para a nova fase de crescimento, a empresa foca na inovação de novos produtos/serviços com uso de equipamentos diferenciados que conferem maior produtividade e segurança, agregando esse valor aos seus negócios e ainda garantindo baixo custo operacional.
Ao longo da entrevista com o Diretor da IWEX Transportes, Wander Sinigaglia, foi possível discorrer sobre vários temas de interesse do setor e com ativa participação dos tele nautas, abordando temas sobre o cenário mercadológico do transporte rodoviário, infraestrutura do setor, legislação de jornada dos motoristas, legislação de transporte de produtos perigosos, e ainda conta sua experiência profissional e a transição das empresas de mercado para a organização familiar. A visualização do vídeo no link a TV ABCD, resume o conteúdo da interessante da entrevista e permitirá aos leitores conhecerem a trajetória da IWEX, do seu Diretor e algumas novidades que a empresa está preparando para o mercado.


Contato para maiores informações:
Wander Sinigaglia
Diretor Comercial

IWEX TRANSPORTES E LOGÍSTICA LTDA
fone/fax (11) 2693-2736
(
celular  (11) 99611-9382  
+
wander.sinigaglia@iwex.com.br
Website:
www.iwex.com.br


Press Log Assessoria de Imprensa
Jornalista Eliria Buso
Telefone: 11 43296529

Logística Reversa: Anvisa determina apreensão e inutilização de Shampoo

Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada hoje (24), no Diário Oficial da União, determina a suspensão da fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e do uso do produto Brushing Progress – Shampoo Antioxidante da marca Essencial Cosméticos, fabricado pela empresa Relux Indústria e Comércio de Cosméticos Ltda.
De acordo com o texto, o produto não possui registro, notificação ou cadastro na Anvisa. Já a empresa não possui autorização de funcionamento e, segundo a agência, usa na rotulagem do xampu dados de endereço, CNPJ e autorização de funcionamento referentes à empresa Indústria e Comércio de Cosméticos Reluz Ltda., que desconhece a existência do produto.
 
A Anvisa determinou, ainda, a apreensão e a inutilização das unidades do xampu encontradas no mercado. A resolução entra em vigor nesta quarta-feira.
 
Fonte: Agência Brasil

MT - É necessário destravar a logística! Mas como?

O crescimento vertiginoso da produção agrícola mato-grossense na última década tornou visível o quanto a logística mato-grossense é deficiente, tendo ficado parada no tempo, sem investimentos adequados por décadas. Apesar de ter avançado da porteira para dentro, se tornando o maior produtor nacional de grãos, Mato Grosso alcançou a pecha de pior logística do Brasil, encarecendo o custo de produção e tirando a competividade dos produtores.
Faltam armazéns, rodovias secundárias em bom estado de conservação/trafegabilidade e rodovias-tronco devidamente asfaltadas em todas as regiões do Estado. E o principal: promover a integração dessas rodovias principais para diferentes opções de ferrovias em cada região. Hoje a única opção ferroviária para escoamento da nossa produção é pela Ferrovia Vicente Vuolo, que chega até Rondonópolis, seguindo rumo à região Sudeste do Brasil. Algum projeto de escoamento por hidrovia está mais atrasado ainda.
É nessa realidade que destacamos a necessidade de valorização dos projetos de multimodais (envolvendo os transportes rodoviário, hidroviário e ferroviário) em Mato Grosso. Vale informar que os principais projetos nesta área, para promover o escoamento da produção mato-grossense, estão traçados, existem no papel. No campo rodoviário, temos a necessidade da viabilização das BRs 242 e 158 e da refederalização da antiga BR-080, bem como pavimentação de rodovias estaduais estratégicas para o escoamento da produção.
No campo ferroviário, citamos os projetos das ferrovias Sapezal – Porto Velho, Sinop – Miritituba e Lucas do Rio Verde – Campinorte (Ferrovia da Integração do Centro-Oeste), além do projeto de expansão da Ferronorte até Cuiabá. Na área de hidrovias, temos a necessidade de viabilizar a navegação pelos rios Teles Pires – Tapajós e pelo Araguaia – Tocantins.
Com a definição dos projetos prioritários, a campanha atual para eleições para Presidente da República, Senador, Governador, Deputados Federais e Deputados Estaduais é o momento ideal e decisivo para que a sociedade mato-grossense possa cobrar dos seus representantes o firmamento de um compromisso em prol desta área, visando destravar a logística do nosso Estado nos próximos anos.
Diante da nossa realidade atual, a busca da solução dos nossos gargalos logísticos deve ser um anseio não apenas da sociedade organizada, mas deve ser uma meta e uma luta constante da bancada mato-grossense e cabe aos eleitores de Mato Grosso sabe escolher bem aqueles que podem defender essa bandeira no Congresso Nacional. Caso contrário, não teremos avanços!

Fonte: A Tribuna

Brasil precisa de R$ 1 tri em infraestrutura de transportes

Um trilhão de reais: é este o valor que o Brasil precisa investir em infraestrutura de transportes até 2030 para se equiparar ao padrão de países como Rússia e Austrália.
A conclusão é de um estudo do núcleo de Real Estate da Escola Politécnica da USP assinado pelos professores Claudio Tavares de Alencar e João da Rocha Lima Júnior com o mestrando Flávio Abdalla Lage e apresentado no final da semana passada na 14ª Conferência Internacional da LARES (Latin American Real Estate Society).
Este número parte de cálculos do ITF (Fórum Internacional de Transportes) em 47 países do mundo, que mostram uma média de investimento em infraestrutura de transportes de 1,17% do PIB anuais entre 2002 e 2013.
No Brasil, este 1,17% do PIB por ano equivale a um total de R$ 1,09 trilhão até 2030, já considerando o crescimento estimado para o período.
O Programa de Investimento em Logística (PIL) lançado em meados de 2012 prevê dobrar os investimentos na área, mas com um valor total de cerca de R$ 240 bilhões – ou seja, só um quarto do necessário.
Mesmo com menos recursos previstos, o plano do governo parte das mesmas conclusões do estudo. A primeira é que o financiamento público não será suficiente para melhorar nossa infraestrutura.
Os aportes do Tesouro para o BNDES já aumentaram muito nos últimos anos, então a única solução possível é melhorar o ambiente institucional para turbinar o mercado de crédito de longo prazo, além de multiplicar as concessões.
A segunda conclusão é que o Brasil precisa variar seu foco. O país depende demais do modal rodoviário, que sempre foi o foco dos nossos investimentos públicos apesar do alto custo relativo. 
Como ele responde por 58% do transporte de cargas, no entanto, ainda precisa ser o maior destino de recursos, já que a malha é deficitária e pouco pavimentada:

Malha total (Km)    % pavimentada Movimentação anual de cargas (Milhões T*Km)
Brasil 1,5 milhão 14% 485.625
China 4,1 milhões 64% 5.137.474
Rússia 1 milhão 80% 247.936
Canadá 1,4 milhão 40% 136.393
Alemanha 643 mil 100% 468.900
Austrália 823 mil 43% 194.906

E nem assim tudo estaria resolvido: “para se chegar em níveis mundiais de qualidade seriam necessárias a construção e pavimentação de 814 mil e 772 mil quilômetros de rodovia, respectivamente. Dado que o país levou cerca de 86 anos para construir e pavimentar 221 mil quilômetros, torna-se impossível executar tudo no período”, diz o estudo.
Uma alternativa interessante para países de dimensões continentais e grande volume de produção de produtos de baixo valor agregado como o nosso é o transporte ferroviário. 
É por isso que o estudo recomenda duplicar a malha de 30 mil para 60 mil quilômetros ao custo de R$ 364 bilhões, além de investir cerca de um quarto desse valor no transporte por rios e mar.

Transporte Investimento necessário (em R$)
Rodoviário 607 bilhões
Ferroviário 364 bilhões
Hidroviário/Marítimo 85,5 bilhões
Aéreo 33,3 bilhões
Total 1,09 trilhão


Leia mais sobre Transportes e Logística aqui:

Fonte: Exame

A TNT MERCÚRIO participa do programa LOGCOMEX da TV ABCD e detalha os planos de atuação de sua divisão de Transporte Rodoviário Internacional, a melhor opção de transporte para interligar o Brasil com a América do Sul

Em entrevista concedida para o programa LOGCOMEX, da TV ABCD, os executivos da TNT MERCURIO resumem da seguinte forma o momento vivido pela transportadora de origem holandesa: A TNT virou o jogo e reverteu os resultados negativos que vinha apresentando desde 2007, quando adquiriu a brasileira Expresso Mercúrio, dando origem à TNT Mercúrio, especializada em carga fracionada aérea e rodoviária para o Brasil e o Mercosul. 
De acordo com os Diretivos, Cristiano Koga e Rondon Wendler respectivamente Diretor Corporativo das áreas de Marketing e de Vendas e Gerente da divisão de transporte rodoviário internacional da TNT Mercúrio, a empresa conseguiu equilibrar os resultados, voltando a crescer durante o ano 2014. “Durante o ano 2014 estamos acumulando um importante crescimento no volume e rentabilidade das operações graças ao plano estratégico desenvolvido pela empresa”. Através do seguinte link a TV ABCD resume o conteúdo da interessante entrevista que registrou grande audiência:
Transporte Rodoviário Internacional - A TNT dispõe de filiais estrategicamente localizadas em Santiago do Chile; Assunção, no Paraguai; Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia; Córdoba e Buenos Aires, na Argentina; e Montevidéu, no Uruguai, além de possuir operações no Peru, que se reporta ao Brasil afirma Rondon Wendler que destaca: “Acreditamos  que esta abrangência internacional também seja um diferencial no mercado para o transporte de carga fracionada e produtos que requeiram valor agregado destaca o dirigente.
Recorde de audiência durante o programa LOGCOMEX -  Durante a entrevista concedida pelos executivos a apresentadora do programa, Dra. Claudia Bock, comentou que a TV ABCD recebeu mais de 150 e-mails de empresas situadas no Brasil e em diversos países da América do Sul, interessados em conhecer as alternativas oferecidas pela TNT para a realização de transporte entre os países mencionados.
Sobre a TNT
A TNT Express é uma das maiores empresas de entrega e logística do mundo. Diariamente, a TNT Express faz aproximadamente 1 milhão de entregas, variando de documentos e encomendas até cargas paletizadas. A empresa opera em redes de transporte rodoviário e aéreo ao longo de toda a Europa, Oriente Médio e África, Ásia e Américas. A TNT Express registrou uma receita de €6.7 bilhões em 2013. A companhia opera em mais de 200 países, utilizando uma rede de 2.653 terminais, hubs e sorters. Com mais de 30.000 veículos e 51 aeronaves, a TNT possui a maior infraestrutura rodoviária e aérea para entregas expressas porta a porta na Europa.

Sobre a TNT no Brasil
A TNT é a maior transportadora de carga expressa do Brasil, com sete mil funcionários e 2500 veículos próprios, que oferece transporte rodoviário e aéreo, doméstico e internacional. Pelas divisões operacionais TNT Mercúrio, atinge mais de 5000 municípios em todo o país. E, por meio da TNT Express, alcança mais de 200 países e é a única que cobre 6 países da América Latina no modal rodoviário (Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai).

Para maiores informações:
Juliano Carneiro
Coordenador de Marketing & Vendas
Telefone: 11 21082911

MIRA TRANSPORTES renova contrato com a Ipiranga

Parceiros há 16 anos, o Mira Transportes e a Ipiranga renovam contrato. A empresa de logística e transportes garante à Ipiranga o abastecimento nacional de sua frota por mais 3 anos. A renovação faz parte de uma série de investimentos implantados neste ano como a aquisição de equipamentos para aumento da frota, expansão da área geográfica de atendimento, entre outros.
Graças à parceria com a Ipiranga, a Mira Transportes tem total controle de abastecimento, assim como a mensuração da produtividade de sua frota. A empresa realiza com eficiência o transporte e a distribuição das mercadorias destinadas às capitais e todas as cidades da região Centro Oeste do Brasil.
Segundo o representante do Conselho do Grupo Mira, Roberto Mira Junior, a renovação do contrato de abastecimento é importante para manter a qualidade dos serviços. “A Ipiranga já conhece a cultura da  empresa e nossos pontos de abastecimentos estratégicos, portanto, apesar da concorrência ter sido maior neste ano, preferimos manter nosso trabalho em conjunto”, completa.
Sobre o Mira Transportes – O Grupo MIRA dispõe de duas divisões de negócios; o MIRA TRANSPORTES, empresa de transporte de carga e distribuição em todo o Centro-Oeste do país e a TARGET LOGISTICS, braço logístico do grupo especializado no desenho de soluções para as atividades de logística dedicada realizando todo tipo de atividades nos armazéns tais como: Picking, Packing, Gerenciamento Físico e Fiscal de Estoques, Preparação Especializada de Pedidos, Distribuição pelo sistema fracionado ou de carga completas tão como a gestão de logística reversa.

Informações:
Matriz São Paulo, SP - Rua São Quirino, 1.090 - CEP 02056-070
Telefone (11) 2142-9000
transportes@mira.com.br
www.mira.com.br

MOVIMAT - Logística reversa pode se tornar fonte de negócios

BOLETIM 4 MOVIMAT – 18 DE SETEMBRO DE 2014 - Pela primeira vez, a Movimat SP sedia uma Conferência da Reverse Logistics Association – RLA, associação norte-americana de logística reversa, colocando em evidência os desafios que envolvem essa questão.
Com palestras e workshops, em três dias, representantes de indústrias referência no mercado mundial trataram da questão, compartilhando soluções que deram resultado positivo dentro de suas empresas.
Para o diretor executivo da Reverse Logistic Association, Gailen Vick, a realização da Conferência em meio à Movimat superou suas expectativas. “Já realizamos essa conferência em São Paulo há alguns anos, mas ter feito junto com a feira certamente agrega e insere a logística reversa dentro do processo logístico como um todo, inclusive como oportunidades para ganhar dinheiro com isso. Por isso, na conferência podemos dividir boas práticas já implantadas por empresas de diversos países para que o Brasil consiga encontrar soluções para a logística reversa de forma produtiva e rentável”, ressalta o americano.
O diretor da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP) e presidente do Sindicato das Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado do Paraná, Marcelo Melek, que coordenou dois painéis na Conferência, alguns dos entraves para o desenvolvimento da logística reversa no Brasil é a questão cultural, tanto da incompreensão do que realmente significa como da resistência do consumidor brasileiro a se interessar por produtos recondicionados ou reciclados. “Logística reversa é pouco falada no Brasil e muito mal compreendida, até mesmo por quem atua nessa área, que a vê apenas como o retorno de um produto para a fábrica por má utilização ou por apresentar defeito. A logística reversa é um processo completo que envolve todos os elos da cadeia, por isso ter a conferência junto com a feira da logística é uma oportunidade de conhecer e integrar esses dois mundos, que têm suas especificidades e características, parecem dois mundos à parte, mas que se complementam e formam um só”, afirma Melek. Ele destaca que é preciso que as pessoas enxerguem oportunidades de negócios com logística reversa e com o reaproveitamento do que é retornado. “Um exemplo são as embalagens tetrapark que contém uma espécie de alumínio. Não se sabia o que fazer com elas. Hoje esse material é utilizado para uma aplicação na indústria que antes não se tinha pensado. Outras áreas usam como combustível para forno e economizam dinheiro com isso. Logística reversa pode ser uma grande fonte de receita e gerar oportunidades de mercado”, aposta.

MOVIMAT É PLATAFORMA PARA LANÇAMENTOS DE SOLUÇÕES EM TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO PARA ALAVANCAR A PRODUTIVIDADE DAS EMPRESAS
Um dos setores mais aquecidos da Movimat é o de tecnologia da informação, no qual empresas desenvolvem e apresentam soluções para tornar a operação logística mais eficiente e competitiva.
A Benner, uma das maiores fornecedoras de software de gestão empresarial do Brasil, trouxe para a Movimat uma suíte de soluções capaz de incorporar os processos de transporte, suprimento, produção e devidas atividades integradas das empresas do segmento industrial. Segundo o diretor comercial da Benner, Sergio Fabiano Matos Botelho, o mercado está carente receptivo a soluções em logística e de gestão em supply chain. Em 2013, produtos e serviços para esse mercado representaram 37% do faturamento da companhia e a expectativa é que, em 2014, esse índice salte para 45%.
A Startrade lança durante a Movimat cinco ferramentas de TI para logística, já consolidadas em países em que a logística está mais avançada, como EUA, Alemanhã e México. “Isso marca o início de uma nova demanda por profissionais capacitados a operar essas ferramentas, assim como uma nova era de planejamento para as empresas, já que até então o empirismo e a falta de ferramentas adequadas exigia improvisação, papel, planilhas extremamente complexas e poucos resultados”, analisa o diretor comercial da StarTrade, Luís Gardolinsk.
A Consinco Tecnologia & Sistemas, em parceria com a Di.Tech, empresa italiana especializada em sistemas de gestão para o segmento de varejo, apresenta na Movimat o sistema Di.Vo de comando por voz para separação de produtos, o “picking by voice”. O Di.Vo permite aos operadores dos CDs fazerem a apanha de produtos “ditados” por um sistema de voz. Por trabalharem com as mãos livres, sem ter que ocupá-las com listagens, leitores de códigos de barras e etc., a produtividade é significativamente maior. Por trabalharem com fones de ouvidos e, portanto, mais concentrados nas suas atividades, os separadores conseguem fazer mais operações e com menor incidência de erros. Esse processo agiliza o abastecimento dos caminhões, permitindo a entrega dos itens aos destinos mais rapidamente.
A Generix Group Brasil, líder em soluções para a Supply Chain, participa pela pela primeira vez da Movimat. A empresa participa tradicionalmente da SITL (Semana Internacional de Transporte e Logística), em Paris, na França, promovida pela Reed. Na Movimat, executivos da empresa ministraram workshops sobre tendências e melhores práticas mundiais, análises de rentabilidades de investimentos em otimização de supply chain, tanto para operações de transporte como de estocagem e de reabastecimento.
Já a Alcis, empresa 100% brasileira, lança na Movimat o WMS Alcis FRIO (sistema especializado no atendimento das necessidades específicas da Cadeia do Frio), WMS Alcis FRIO WEB (mesma aplicação, só que 100% acessível via WEB), Módulo Fiscal (client-server ou WEB) – destinado à questão fiscal quando a armazenagem ocorrer em Regime de Armazém Geral e Painel de Controle (via WEB) – visualização de volumetria e indicadores de produtividade.
A GKO Informática, empresa especializada em soluções tecnológica com foco na gestão de fretes, preparou para a Movimat o lançamento do produto GKO Plus, uma versão do GKO FRETE com infraestrutura instalada na “nuvem” em que os clientes pagam apenas pelo volume de uso do produto ao invés da compra da licença como um todo.

FABRICANTES DE VEÍCULOS URBANOS DE CARGA APOSTAM NO MERCADO AQUECIDO PARA ESSE SEGMENTO
As crescentes restrições de tráfego a veículos pesados em grandes cidades vêm impulsionando o segmento de Veículos Urbanos de Carga (VUCs), caminhões de pequeno porte (de largura máxima de 2,20m e comprimento de até 5,50m). Segundo dados do Detran-SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo), em cinco anos, a frota dessa categoria de veículos cresceu 49,5%. Novidades para esse segmento estão sendo apresentadas na Movimat SP.
A Renault trouxe para a feira sua linha de veículos que se enquadram em VUC, como o Master Chassi, Kangoo e Master Furgão, disponíveis para test-drive. Os modelos são os mais vendidos da categoria graças à capacidade de carga que podem transportar. No caso do Master Chassi são até 1800 quilos suportados na carroceria, 800 quilos para o Kangoo e 1600 quilos para o Furgão.
A Lifan Motors apresenta na Movimat o novo minitruck Foison com toda a sua versatilidade de uso. Recém-lançado no mercado brasileiro, o Foison é o segundo veículo da marca chinesa no mercado brasileiro e o primeiro no segmento de veículos comerciais. O minitruck supre uma lacuna existente no segmento de VUC por se diferenciar pela força do motor 1.3 a gasolina que desenvolve 85 cv de potência, pela maior cacamça da categoria e pelo baixo custo de aquisição e manutenção.
A Kia Motors apresenta no evento os diferenciais do Kia Bongo, um comercial leve com motor de 2.5 litros turbo diesel intercooler com potência de 130,5 cv a 3.800 rpm e transmissão manual de seis velocidades. Desde o ano passado, além da motorização e câmbio, as principais mudanças do Bongo são a grade frontal, agora com a ‘assinatura’ da Kia e detalhes cromados, as rodas aro 15’’, o revestimento dos bancos em tecido e os novos volante e painel de instrumentos. Na Movimat, a Kia expõe diferentes exemplos de utilização do Bongo: com baú frigorífico, baú fechado e carroceria.
Mais informações: www.expomovimat.com.br
Galeria de fotos: www.flickr.com/photos/feiramovimat

Informações para a imprensa:
Attuale Comunicação – tel. (11) 4022-6824
Sala de Imprensa Movimat – tel. (11) 2221-4586
Mariele Previdi – mariele@attualecomunicacao.com.br | (11) 99954-4626
Mariane Belasco – mariane@attualecomunicacao.com.br | (11) 97282 1108

Gerência de Comunicação - Reed Exhibitions Alcantara Machado
Antonio Alves - (11) 3060-5019 - antonio.alves@reedalcantara.com.br
Monise Hernandez - (11) 3060-4947 - monise.hernandez@reedalcantara.com.br
Andressa Bezerra – (11) 3060-4747 – andressa.bezerra@reedalcantara.com.br


Abralog lança na Movimat Frente Nacional pela Multimodalidade

BOLETIM 2 MOVIMAT SP - 16 DE SETEMBRO DE 2014 - Ao final do primeiro dia da 18ª edição da Conferência Nacional de Logística e da Movimat SP, feira de soluções para logística interna e externa, a ABRALOG – Associação Brasileira de Logística oficializou a criação da Frente Nacional pela Multimodalidade, envolvendo associações representativas dos diversos modais logísticos.
O manifesto pela multimodalidade “Ações para um Brasil eficiente” foi apresentado e será entregue aos presidenciáveis. “Infraestrutura deve ser um plano de Estado e não plano de um governo”, afirma o presidente da ABRALOG, Pedro Moreira.
A Frente Nacional pela Multimodalidade, concretização de uma ideia que nasceu no último dia da edição de 2013 da Movimat, será coordenada pela ABRALOG e envolverá embarcadores e operadores de transporte multimodal com frentes regionais para desmistificar a multimodalidade e fomentar a implementação de soluções de integração de modais no Brasil. A Frente atuará em cinco temáticas: vocação dos modais, eficiência operacional, sustentabilidade e segurança, planejamento operacional e otimização tributária.
O manifesto foi assinado pelo presidente do SETCESP – Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo e região, Manoel Sousa Lima Jr., que declarou o apoio do setor rodoviário à iniciativa. “O modal rodoviário é um dos players dessa frente. Não vemos os outros modais como concorrentes, mas como complementares. Se considerarmos que um caminhão foi concebido para não rodar mais do que 500 km e as dimensões continentais do Brasil, é preciso realmente integrar os modais”, afirmou o presidente do SETCESP.

ROTEIRIZAÇÃO OTIMIZA ENTREGAS E CONTRIBUI PARA A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS DE LOGÍSTICA
O planejamento de distribuição e a roteirização no transporte são tendências necessárias para garantir competitividade dos negócios. A adoção de novas tecnologias permite estabelecer uma sequência otimizada de entregas para satisfazer as necessidades dos clientes e driblar imprevistos no trajeto, como manifestações, obras e mudanças de última hora. Essa foi uma das questões abordadas nos painéis no primeiro dia da XVIII Conferência Nacional de Logística, que ocorre até quinta (18/9), no Expo Center Norte, em São Paulo (SP), simultaneamente à 29ª Movimat.
Foram apresentadas as variáveis que devem ser consideradas no planejamento, o uso da tecnologia e ferramentas disponíveis de planejamento, roteirização e ações de correção para desvios e imprevistos externos. “Na roteirização agregamos inteligência e tecnologia em todo o processo de planejamento das viagens, aferindo os custos de cada uma, sejam transferências, coletas ou entregas. É possível otimizar entregas utilizando práticas de melhorias e desempenho, aumentando assim a produtividade”, explica Frederico Hohagen, da Maplink. Segundo ele, é necessário que os empresários integrem o planejamento com o que é realizado efetivamente para poder mensurar os resultados. “É preciso integrar a solução de roterização, meios de pagamento, ERP e rastreadores para que seja possível controlar em real time todo o processo logístico”, enfatiza.
Uma medida adotada pelo Habib’s, rede brasileira de fast food especializada em comida árabe, e que otimizou os processos de entregas foi utilizar o conceito de não abastecer lojas que estejam a mais de 400 km das centrais de produção distribuídas pelo Brasil. “As nossas centrais operam 24 horas e priorizamos essa operação para facilitar a movimentação nas vias de acesso e com isso economizar os custos aos lojistas. Nós não utilizamos sistema de roteirização, até porque o próprio lojista é quem faz o transporte das mercadorias para sua unidade. O que viabilizamos são os horários de carregamento e a distribuição desses horários conforme agendamento e trajeto percorrido, sempre tendo como prioridade a redução dos custos”, relatou na Conferência o diretor de operações do Habib’s, Marcos Gonçalves Oliveira.

BICICLETAS SÃO ALTERNATIVAS PARA DRIBLAR DIFICULDADES DE ENTREGAS EM GRANDES CENTROS
As recentes mudanças nos padrões de consumo somadas aos enormes problemas de mobilidade e distribuição nas áreas urbanas das grandes cidades fazem com que os desafios de entrega sejam cada vez maiores. O primeiro dia da Conferência Nacional de Logística apresentou novidades para mobilidade urbana e alternativas para aperfeiçoar a distribuição nos grandes centros.
“Resolver a questão da mobilidade urbana passa pelos automóveis, pois é inadmissível uma cidade como São Paulo ter 600 automóveis para cada 1.000 habitantes. É o dobro do que tem em Londres. Não é retirando os caminhões da rua que vai resolver a questão, mas, sim, dando condições para que as pessoas utilizem os transportes públicos”, aponta o professor da USP, Hugo Tsugunobu Yoshida Yoshizaki, moderador do painel sobre o tema. Ao comentar situações inesperadas que interferem no transporte, como os confrontos que bloquearam ruas do centro de São Paulo nesta terça-feira, o professor afirma que o brasileiro ainda não tem uma cultura de coleguismo e de compartilhar informações. “Buenos Aires tem muito mais protestos e manifestações do que no Brasil e lá as pessoas se ajudam dando informações de como contornar o trânsito para não interferir nos resultados. Algo que funciona bem no Brasil é o rádio táxi em que taxistas avisam uns aos outros das rotas de escape. Uma saída que tende a crescer mais é o uso de aplicativos colaborativos como o Waze”, afirma Hugo.
Atento às necessidades de mercado, Victor Castello Branco, sócio da Ecolivery Courrieros, percebeu que poderia apresentar uma solução para driblar os gargalos de mobilidade urbana e há dois anos sua empresa atende a região central de São Paulo, num raio de 12 quilômetros, fazendo entregas expressas com o uso de bicicletas. “A tendência é as pessoas quererem cada vez mais descomplicar o processo. E vimos que conseguimos atender um nicho de público exigente com a entrega pontual, mas também antenados com a questão de sustentabilidade”, explica.
Os serviços de “couriers”, “bike messenger” ou bici-boys já são conhecidos e eficazes em grandes cidades, como em Nova York e Londres. “Já estava na hora de São Paulo adotar de vez este serviço, em que as bikes contribuem para agilizar e humanizar a vivência nas metrópoles”, salienta Castello Branco. São Paulo tem 70,6 km de ciclovias e com a meta da gestão atual de atingir 400 km até 2016, esse mercado deve ficar mais aquecido.
Programação de quarta-feira
Nesta quarta (17/9), a Conferência Nacional de Logística tratará da Inovação em Processos e Gestão. Haverá um painel promovido pela ABIAF – Associação Brasileira da Indústria de Armazenagem Frigorificada sobre as perspectivas e inovações nas operações logísticas da cadeia do frio (cold chain), um workshop a respeito de terceirização em logística e palestras com os temas “Omni channel e e-commerce” (integração de lojas físicas e virtuais) com o presidente do Conselho de Administração da Dot Legend, Hugo Bethlem; “Lean na Logística” (como evitar desperdícios na operação logística) com o Gerente Senior de Compras da Mercedes-Benz di Brasil, Ugo Ibusuki; e “Sustentabilidade e Logística Reversa” com o presidente do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Sustentável, Ricardo Vieira.
Feira com soluções para logística interna e externa vai até quinta
Pela primeira vez, a Conferência Nacional de Logística está sendo realizada dentro do pavilhão da Movimat, permitindo que os participantes conheçam as soluções práticas apresentadas pelas empresas diante das questões discutidas de forma teórica.
O evento conta com 15 mil m² de exposição e é esperado um público de 30 mil pessoas. A Movimat abre diariamente às 14h e vai até às 20h.
Mais informações http://www.expomovimat.com.br/

O futuro do varejo é o omni-channel com integração de lojas físicas e virtuais, aponta especialista

Setor está em discussão na Conferência Nacional de Logística e Movimat SP, que vão até quinta-feira, no Expo Center Norte

BOLETIM 3 MOVIMAT – 17 DE SETEMBRO DE 2014 - Na manhã dessa quarta-feira (17/9), segundo dia da 18ª edição da Conferência Nacional de Logística (CNL), promovida pela ABRALOG (Associação Brasileira de Logística) e que se realiza durante a Movimat SP, feira de soluções de logística interna e externa, Hugo Bethlem, presidente do Conselho de Administração da Dotlegend, empresa desenvolvedora e operadora de aplicativos para smartphones focada em varejo, enfatizou que o futuro do varejo é a integração das lojas físicas e virtuais, o chamado omni-channel.
Segundo o palestrante, os varejistas devem estar atentos para se adequar, investindo em canais de comunicação, softwares e logística para conseguir integrar os processos logísticos e-commerce com ponto de venda. “É trabalhoso, sim, e necessário ‘colocar a mão no bolso’. Mas, ao mesmo tempo, tenha a certeza de que o seu consumidor irá retribuir, pois é um público que gasta simultaneamente entre 15% e 30% mais”, afirmou o executivo.
No entanto, o especialista ressaltou que é preciso estar preparado para operar em todos os canais. “O consumidor é quem tem o controle de tudo e quer que seja algo personalizado. O tratamento com o cliente deve ser verdadeiro. Não adianta apenas adicionar os canais; é preciso saber gerenciar. Meus filhos já estão na faculdade e eu ainda recebo e-mails com propaganda de fraldas”, brinca. “Empresas do futuro trabalham para gerar valor e isso não tem preço. Conhecer os hábitos dos seus clientes é fundamental para que ele se torne o seu verdadeiro marqueteiro. Omni-channel é o futuro do varejo, com certeza”, finalizou.

MOVIMAT É PALCO PARA APRESENTAÇÃO DE INOVAÇÕES EM LOGÍSTICA INTERNA E EXTERNA
As empresas do setor de logística guardam seus principais lançamentos para serem apresentados ao público durante a Movimat, que se consolidou como a principal vitrine de soluções tecnológicas.
Em parceria com o distribuidor Bauko, a TOYOTA Empilhadeiras apresenta em primeira mão na Movimat ao mercado brasileiro diversas novidades, como as empilhadeiras elétricas da marca BT que serão fabricadas no Brasil a partir de 2015. A empresa trouxe para a feira as recém-chegadas ao Brasil paleteiras elétricas do modelo LPE, que carregam mais peso, são mais leves e conseguem atingir velocidade média de 12,5 km/h, e paleteiras elétricas com mastro, modelo SWE. A marca trouxe também as Empilhadeiras a combustão da Série 8 fabricadas no País que vêm com o selo “Feito no Brasil”. Outro pré-lançamento da empresa na Movimat é a Toyota Super, linha completa de óleos genuínos específicos para empilhadeira – produto inédito no Brasil - que contribui para elevar o desempenho dos equipamentos e reduzir o nível de poluentes e de consumo de combustível e estará no mercado a partir de outubro.
Já a Retrak, especializada na locação de equipamentos para movimentação e armazenagem de materiais, trouxe para o evento trocadores automáticos de baterias tracionárias (TAB), que eliminam totalmente os esforços dos operadores e proporcionam redução de tempo para as trocas.
A Marksell, empresa pioneira na fabricação de plataformas para movimentação de cargas no Brasil, apresenta na Movimat uma nova botoeira MKS com sistema inteligente para aviso de falhas, que diminui os riscos de acidentes de trabalho, uma vez que o operador não tem contato com a fiação e nem com o sistema elétrico do equipamento.
A Mitsubishi Auster platater trouxe para o evento empilhadeiras elétricas da nova geração da marca com menos de um ano no mercado europeu. A Tópico, empresa especializada em locação e venda de coberturas, optou por participar da Movimat com dois estandes para dar mais visibilidade aos dois principais produtos: galpões estruturados e plataformas aéreas
A Feira vai até quinta-feira (18/9) e fica aberta das 14h às 20h. Mais informações www.expomovimat.com.br

CADEIA DO FRIO GANHA ESPAÇO NA MOVIMAT E CONFERÊNCIA NACIONAL DE LOGÍSTICA
A armazenagem frigorificada é um importante elo da cadeia do frio e corresponde a uma considerável fatia do mercado logístico. Apostando na evolução desse cenário, a Associação Brasileira da Indústria de Armazenagem Frigorificada (ABIAF) e a Global Cold Chain Alliance (GCCA/Aliança Global da Cadeia do Frio) firmaram uma parceria com a Movimat e instalaram o Pavilhão da Cadeia do Frio, dedicado exclusivamente a este setor durante a feira.
Além de ter espaço para os expositores da cadeia do frio, a manhã do segundo dia da Conferência Nacional de Logística é dedicada ao setor, que tem uma a estrutura de armazenamento com capacidade estimada de mais de 4,2 milhões m³, segundo levantamento feito com associados da ABIAF. Os painéis contaram com a apresentação de cases e alternativas para os principais desafios da cold chain por executivos de empresas como Walmart, Martin Brower do Brasil e JBS.
“Por ser a única entidade no país que representa a armazenagem frigorificada, vimos que em 35 anos, a cadeia cresceu muito e se modernizou e a ABIAF percebeu que precisa buscar inovação e modernizar a sua imagem, mostrando para o mercado que está mudando. Participar de um evento como esse traz representatividade e inovação a fim de auxiliar não somente seus associados, mas também todas as empresas do setor. Nos painéis da Conferência tivemos a participação de grandes empresas que são clientes de associados e isso agregou bastante valor, pois é diferente quando o próprio cliente fala das necessidades, deixando mais claro as adequações necessárias para atender as demandas”, afirma o conselheiro da ABIAF, Ozoni Argenton Junior.

Mais informações:
29ª Movimat - Feira Internacional de Intralogística
XVIII Conferência Nacional de Logística
Conferência da Reverse Logistics Association (RLA)
Data: 16 a 18 de setembro
Local: Pavilhão Azul / Branco - Expo Center Norte – São Paulo (SP)
www.expomovimat.com.br

Informações para a imprensa:
Attuale Comunicação – tel. (11) 4022-6824
Sala de Imprensa Movimat – tel. (11) 2221-4586
Mariele Previdi – mariele@attualecomunicacao.com.br | (11) 99954-4626
Mariane Belasco – mariane@attualecomunicacao.com.br | (11) 97282 1108