Matéria internacional: Paraguay aspira a convertirse en un gigante del comercio fluvial suramericano

Matéria internacional mostra como nossos vizinhos Paraguaios estão investimento no transporte hidroviário. Vale a pena conferir:


Con una producción de grano equivalente a menos del 10 % del total producido por Brasil, Paraguay se ha desmarcado en Suramérica con la tasa de crecimiento más alta del continente en 2014, que fue de un 4 %, y hoy apuesta por la modernización de sus hidrovías para fortalecer el comercio fluvial.
Un tercio del crecimiento económico paraguayo depende de su industria agrícola basada, casi que exclusivamente, en la producción de soja y carne bovina.



Para dar salida a las exportaciones de estos productos, el país lleva años invirtiendo en infraestructuras y transportes, especialmente por vía fluvial, lo que le ha llevado a convertirse hoy en día una nueva alternativa para el flujo de las exportaciones de Suramérica, incluso de Brasil, su vecino gigante.
En ese sentido, Brasil despacha a través de los ríos paraguayos una gran cantidad de azúcar desde la región de Dourados, en el estado brasileño de Mato Grosso do Sul (occidente), según constató un estudio de la Expedición Safra y del periódico Gazeta do Povo de Curitiba, capital del sureño estado de Paraná.
Los paraguayos "son bastante audaces. Están invirtiendo para poder duplicar la capacidad del puerto y 'robarle' carga a Brasil", explicó a Efe el coordinador de la expedición, Giovani Ferreira.
De acuerdo con Ferreira, "antes (los paraguayos) llevaban los cargamentos a Brasil a través del puerto de Paranaguá y ahora quieren hacerse con la carga brasileña y navegar por el río Paraguay hasta los puertos argentinos".
Según el coordinador del proyecto, Paraguay está invirtiendo fuertemente no sólo en las vías fluviales, sino también en la concesión de carreteras y en hacer alianzas público-privadas para ampliar el acceso a los puertos fluviales con el fin de duplicar la capacidad de transporte de grano por el ríoParaguay.
"Los puertos a lo largo del río Paraguay se encuentran en zonas muy urbanas, por eso el país reconoce la necesidad de crear mejores accesos a éstos para aumentar el volumen de camiones que llegan a ellos", señaló Ferreira.
En los últimos diez años, la flota fluvial paraguaya aumentó de quince remolcadores y cien barcazas a 150 y 3.000, respectivamente, convirtiéndose así en la tercera más grande del mundo.
De esta forma, Paraguay comenzó a crear una estructura fluvial en auge que sirve tanto a la industria agrícola, como a todos los demás sectores de su economía, que exportan e importan a través de los puertos argentinos, principalmente, y brasileños.
El desarrollo fluvial también ha contribuido para la logística de importación.
Entre los productos más demandados en el mercado interno paraguayo destaca el cemento, cuyo consumo ha superado a la capacidad de producción del país y cuya importación se lleva a cabo cada vez más fácilmente gracias a su red fluvial.
"Hoy en día se trae cemento por el río. Las barcazas que bajan a Argentina transportan grano y regresan cargados con productos para abastecer el mercado interno", explicó Ferreira.
Aún así, el coordinador de la Expedición Safra hace hincapié en el hecho de que la expansión económica de este pequeño país de América Latina no debería afectar demasiado al mercado brasileño, cuya capacidad de producción, así como su aún incipiente desarrollo fluvial superan a la de su vecino guaraní.
La capacidad de exportación de Brasil, que en la cosecha 2014-2015 vendió al exterior más de doce millones de toneladas de grano a través de sus puertos en la región norte, donde parte de la carga exportada llega por vías navegables del río Madeira y Amazonas, es más del doble de la de sus vecinos paraguayos.
La previsión de la Expedición Safra, teniendo en cuenta las inversiones realizadas por Brasil en sus vías fluviales, es que este volumen superará los 29 millones de toneladas en 2020.
"Paraguay no deja de ser una alternativa logística para Brasil, pero sólo para una cantidad muy pequeña respecto al volumen de las exportaciones de Brasil", puntualizó Ferreira.

MIRA TRANSPORTES faz de sua especialização na distribuição para a região centro oeste seu projeto de atuação nacional

A Transportadora é uma organização líder na distribuição de mercadorias para a região Centro Oeste. Segundo seu principal executivo, foi mediante esta especialização que o Mira Transportes conseguiu sua atuação como empresa referente na distribuição de cargas itinerantes em escala nacional [...]

Para o Presidente da MIRA TRANSPORTES – Roberto Mira, que lidera um grupo empresarial que acaba de cumprir 37 anos, foi por meio da vasta experiência de sua organização como empresa líder na distribuição de cargas para a região Centro Oeste, que o Mira galgou um forte posicionamento como empresa de atuação nacional.
O presidente destaca que, dentre as áreas geográficas atendidas pelo MIRA TRANSPORTES, a região Centro Oeste, uma das áreas com maior crescimento econômico da última década é também uma das regiões com pior infraestrutura para realizar os trabalhos de entrega porta a porta aos quais nos dedicamos há 37 anos.

“Nos debates que norteiam o nosso segmento atualmente, encontrar uma solução inteligente para o problema de distribuição da última milha é um grande objetivo”, destaca Roberto Mira. Entretanto, a região Centro Oeste, além de conviver com a mesma problemática que caracteriza o tramo final das operações de distribuição, também carece de recursos que nos permitam ser mais eficientes nas etapas anteriores das operações, ainda segundo Roberto Mira.

Nos últimos anos, o MIRA TRANSPORTES vem realizando importantes investimentos para dotar a organização com a infraestrutura necessária para oferecer um serviço de qualidade o qual é reconhecido tanto pelos remetentes como pelos destinatários finais das mercadorias transportadas.  De acordo com Roberto Mira, sua empresa se destaca por oferecer um serviço com absoluta regularidade operacional, mantendo os prazos médios de entrega estabelecidos nas relações comerciais com os clientes e o mais importante, cumprindo rigorosamente a legislação vigente mediante a obtenção dos certificados expedidos pelos diferentes órgãos reguladores.

“Ainda assim, nossos esforços não são correspondidos pelas autoridades governamentais; a região Centro Oeste necessita de todo tipo de investimentos; aumento da malha rodoviária, criação de pontos para integração dos caminhoneiros, maior numero de estacionamentos vigiados, manutenção da atual malha, expansão da malha rodoviária, etc. A falta de cuidado neste aspecto faz com que recaia sobre o empresário o custo resultante de circular em péssimas condições de infraestrutura”, conclui o dirigente.

Apesar desta situação, afirma o dirigente não utilizamos estes aspectos como desculpas para não cumprir nossa parte nas relações com a sociedade: “Além da regularidade na prestação dos serviços, nosso plano estratégico permite a realização de permanentes investimentos em tecnologia, rastreabilidade e monitoramento dos veículos em tempo real e o que é mais importante, na pró-atividade de nossas relações com os nossos clientes, alguns dos quais já operam com nossa organização desde o início de nossa atividade”, encerra.

Sobre o Mira Transportes – O Grupo MIRA dispõe de duas divisões de negócios; o MIRA TRANSPORTES, empresa de transporte de carga e distribuição em todo o Centro-Oeste do país e a TARGET LOGISTICS, braço logístico do grupo especializado no desenho de soluções para as atividades de logística dedicada realizando todo tipo de atividades nos armazéns tais como: Picking, Packing, Gerenciamento Físico e Fiscal de Estoques, Preparação Especializada de Pedidos, Distribuição pelo sistema fracionado ou de carga completas tão como a gestão de logística reversa. A regular prestação de serviços de transportes para os segmentos da Industria Farmacêutica faz parte integrante da oferta de serviços prestados pela MIRA TRANSPORTES.

Informações:
Matriz São Paulo, SP - Rua São Quirino, 1.090 - CEP 02056-070
Telefone (11) 2142-9000
transportes@mira.com.br
www.mira.com.br

Informações para a imprensa
Press Log Assessoria de Imprensa
Jornalista Claudio Lacerda Oliva

Telefone: 11 43296529 – São Paulo, Brasil

Decálogo dos aspectos básicos para a boa gestão das empresas de Logística e de Transportes

Especialista e Diretor Geral das empresas Press Log e Soma Log, Roberto Lacerda Oliva:

O nosso blog INFOLOGIS está entrando no quarto ano do estabelecimento de um acordo de colaboração com a empresa Press Log; www.presslog.com.br, uma organização dedicada à consultoria comercial, assessoria de imprensa e projetos de internacionalização envolvendo as relações comerciais entre o Brasil e a Espanha.

A Press Log é dirigida no Brasil pelo jornalista Claudio Lacerda Oliva, quem também dirige há mais de 25 anos a organização ASSIMPTUR; www.assimptur.com.br especializada na prestação de serviços de assessoria de imprensa para o setor de turismo.
Dadas as facilidades que a comunicação através do SKYPE nos oferece, batemos um largo e agradável papo com o Roberto Lacerda Oliva, que tem sua base de trabalho na cidade de Barcelona, Espanha, país aonde reside desde o ano 1991.
Dado o momento que retração comercial que o país atravessa, e considerando o elevado grau de recessão e retração comercial experimentado pela Espanha, particularmente do ano 2007 até o ano 2013, solicitamos ao Roberto que procurasse apresentar-nos um esquema sobre os aspectos que considera mais relevantes para que as organizações de Logística e de Transportes levem em consideração neste ano, relativamente atípico para o segmento.
Roberto apresentou-nos um esquema em forma de decálogo sobre os aspectos que considera relevantes; propomos uma reflexão sobre o assunto e logo em seguida observar nos capítulos 9 e 10 as considerações gerais sobre a matéria: 
Roberto Oliva – Gostaria de apresentar-lhes um documento que elaborei para difusão junto aos nossos clientes e prospectos. Neste documento, procuramos realizar uma retrospectiva sobre os principais aspectos relativos à gestão empresarial que ganham relevância em um ambiente recessivo:

1.    Eficiência do balanço: 

As empresas devem considerar:
·         Aumentar suas previsões para devedores duvidosos
·         Adiar os investimentos que não sejam imprescindíveis
·         Levar a cabo política de constante negociação com os bancos

·         Levar a cabo política de constante negociação com os fornecedores de maior relevância  

·         É elementar dispor de pelo menos os 3 últimos balanços auditados

·         É imprescindível contar com um plano que defina os Objetivos, Planos e Metas de pelo menos próximos 3 anos.


 2.    Fusões e Aquisições (Consulte www.somalog.com)

   
O mercado restringido oferece oferece oportunidades nos seguintes campos:
·         Oportunidades de aquisição de competidores que passam por problemas económicos ou estruturais

·         Celebrar acordos com competidores para a posta em marcha de operações de trafico mutuo
·         Considerar que pode ser uma época interessante para vender nossa participação acionaria; majoritária ou minoritariamente.


3.    Crecimiento

As empresas devem investir: 
·         Na análise da carteira de clientes,
·         Aproveitar o período de menor atividade para maximizar as visitas corporativas aos clientes de sempre
·         Solicitar aos clientes regulares que experimentem os nossos serviços para áreas geográficas confiadas para a nossa concorrência
·         Aumentar a capacidade da equipe comercial para buscar novos clientes, novos segmentos de mercado, novas formas de vender...

4.    Transformar o nosso posicionamento comercial através da Assessoria de Imprensa

As empresas devem:
·         Preparar planos de ação em Comunicaçao corporativa.
·         Transmitir nossos valores comerciais e corporativos através da difusão de notícias sobre a nossa organização,

·          Manter um sistema constante de informação com os clientes e com os prospectos

·         Manter nossos sites atualizados

·         Pensar na comunicação como um elemento mais de gestão empresarial


5.    Gestão da Qualidade

As empresas devem:
·         Dispor de KPIS – Indicadores de Qualidade refletindo a qualidade dos Serviços prestados ao cliente

·         Dispor de um sistema de correção automático de anomalias detectadas
 6.    Gestión de datos

As empresas devem:
·         Envolver aos seus especialistas para que com a ajuda do responsável por TI dispor de informações gerenciais que facilitem a toma de decisões.

7.    Seguranza cibernética

As empresas devem:

·         Detectar novas ameaças a tempo.
·         Ampliar el papel do Diretor de Informática com presença no Comité de Direção


8.    Que grau de vantagem competitiva pode oferecer para o segmento de L&T a Press Log

·         Somos uma organização que atua, EXCLUSIVAMENTE nos segmentos de Logística, Transportes, SUPPTY CHAIN, Internacionalização e COMEX
·         Mantemos nosso elevado grau de independência na hora de oferecer nossa posição profissional sobre as questões das quais participamos
·         Nossa equipe é composta por especialistas em Logistica, Transportes, SUPPLY CHAIN, Jornalismo, Comunicaçao, F&A
·         A Press Log Assessoria de Imprensa www.presslog.com.br dispõe de contatos com os principais jornalistas brasileiros
·         A Press Log Consultoria Comercial realiza projetos em que prevalece o pragmatismo das soluções encontradas
·         A Press Log Internacionalização é especialista na relação comercial entre o Brasil, Espanha e Portugal.
 9.    Paralelismo entre a situação vivida pela Espanha com a situação vivida pelo Brasil 
·         A Espanha experimentou um espetacular crescimento sustentável durante a década dos anos 2000 até o ano 2010.
·         O Brasil experimentou um espetacular crescimento sustentável durante a mesma década acima mencionada.
·         A Espanha teve alternância no poder; o início da grande recuperação e estabilidade econômica veio das mãos do governo do Partido Popular – PP (compatível no Brasil com o PSDB) e continuou com o governo do Partido Socialista Obrero Espanhol – PSOE (semelhante no Brasil a uma coligação PT – PMDB).
·         A explosão do consumo na Espanha veio amparada pelo espetacular crescimento do setor de construção civil; no caso particular dadas as facilidades de obtenção do credito hipotecário; este crescimento empurra diversos segmentos econômicos a participar de cotas de crescimento da atividade econômica. (Eletro domésticos, artigos das gamas branca e marrom, material de construção, etc.).
·         O Brasil conseguiu uma grande explosão do consumo; entre outros aspectos, pelo grande BOOM da construção civil, em grande medida apoiada pelos programas governamentais: Minha casa minha vida, etc.
·         A recessão econômica chegou na Espanha junto com os problemas creditícios do sistema hipotecário norte americano que quase levou à quebra o sistema bancário espanhol.
·         O Brasil soube adotar medidas ante cíclicas e a economia não ressentiu-se tanto como a economia Espanhola.
·         A Espanha adotou uma série de medidas reformatórias; especialmente a partir do ano 2012 e que começam a dar frutos gerando maior confiança nos ambientes empresarial, sindical, patronal, bancário. Como resultados o país recupera signos de crescimento, dispõe de uma inflação contida e começa a gerar postos de trabalho.
·         O Brasil está na ante sala da qual não tem outra escapatória que adotar medidas que possam sanear a economia: Reformar a política fiscal, Reformar o mercado de trabalho e previdenciário, Adotar pactos de estado para combate contra a corrupção, Trabalhar para a maior independência do poder judiciário.
  10. Conclusões
O Brasil poderá perder uma vez mais o trem da história. Tudo levava a crer que o país havia superado está constante situação de tobogã; umas vezes somos efetivamente a 7ª economia do mundo, um país no qual a pobreza vai desaparecendo pouco a pouco e em outros momentos adquirimos a posição de um pai frágil, com a economia oscilando de maneira pouco desejada.
O aspecto mais relevante que devemos destacar é a consolidação da democracia no país.
Não podemos cair na tentação do discurso fácil; brasileiro não sabe votar, etc.
Em um país democrático deve prevalecer as decisões adotadas pelo sufrágio universal que é o voto. Uma maioria simples quis renovar a confiança da liderança do país no PT – Partido dos Trabalhadores e assim foi.
Com a mesma legitimidade com que elegemos Dilma Presidente do país, devemos exercer a pressão ao nosso alcance para que situações tão vexatórias como os escândalos do MENSALAO e da PETROBRÁS não se repitam com a frequência com que se verificam no nosso país.
O mundo vive uma enorme crise de valores. A corrupção é uma epidemia global; entretanto, temos que aprender dos nossos erros, tomar boa nota de nossas equivocações e seguir trabalhando para que uma nação com mais de 200.000.000 de habitantes possa consolidar-se no cenário mundial como um país sério.
Demos passos gigantescos no cenário mundial. Tivemos oportunidade de despertar a nossa nação aos olhos do mundo.
Em um período muito interessante de nossa jovem democracia, tanto baixo a tutela de Fernando Henrique Cardoso como de Luiz Ignacio Lula da Silva soubemos demonstrar para o mundo que podemos ter uma moeda estável, que podemos trabalhar para que milhões de cidadãos passem a frequentar as delicias do mercado de consumo e que os investidores internacionais encontrem no Brasil uma fonte inesgotável de oportunidades.
Essa riqueza de valores não desaparece num PLIZ PLAZ...
Se analisamos com perspectiva e com base imparcial, são muito mais numerosas as pessoas com boa ética e com boa índole, que aqueles “aproveitadores baratos” que o único que buscam é um lugar ao sol prevalecendo-se de uma posição política que ofereça imunidade.
Não é difícil distinguir os bons e os mais políticos como não é difícil distinguir os bons e os mais empresários.
Nosso setor; de Transporte de Cargas, tem uma imensa responsabilidade; escoar a riqueza nacional permitindo um rápido intercambio entre produtores e consumidores para que a máquina do intercâmbio comercial esteja em permanente rotação.
O setor de logística e de transportes é um verdadeiro termômetro da economia de um país; máxime em nosso caso particular no qual mais de 70% da riqueza ainda é escoada através do sistema rodoviário de transporte de cargas.
Portanto, ao realizar as considerações acima, tenho como base um solido processo de observação dos duros momentos vividos para o ajuste e reajuste da econômica espanhola e europeia.
O processo espanhol está em plena ebulição. Os índices de corrupção; igual que no Brasil, também são sumamente elevados.
A diferença básica que aprecio é que na Espanha quase inexiste a pequena corrupção no âmbito empresarial. O denominado JEITINHO BRASILEIRO de dar uma propina para conseguir que um tramite burocrático seja realizado com maior rapidez; por exemplo, é história de décadas passadas.
As quotas de independência da imprensa na Espanha são verdadeiramente elevadas.
As situações não desejadas pela sociedade acabam vindo à tona. As prisões também estão frequentadas por personagens que viveram muito próximo aos grupos de poder.
Com certa lentidão, a justiça acaba cumprindo seu papel; oxalá o Brasil possa obter o mesmo nível de respostas que o alcançado pelo poder Judiciário espanhol.
Em uma situação de crise e de retração comercial devemos expor-nos, lutar pelos nossos interesses e ampliar os nossos horizontes para entender um pouco mais e melhor o fenômeno do macro economia.
Estou convencido que o elevado grau de pressão que a sociedade brasileira passa a exigir dos seus políticos oferecerá uma resposta positiva que poderia ser devolver ao país a quota de seriedade necessárias para atrair o capital internacional.       

MIRA TRANSPORTES celebra 37º aniversario e anuncia novos investimentos



A Transportadora celebra seu 37º aniversario anunciando ao mercado a realização de um importante plano de investimentos em tecnologia, frota, formação de funcionários e maximização do processo de comunicação com o mercado [...] 
 
O MIRA TRANSPORTES é, segundo o seu presidente e principal executivo, Roberto Mira, uma jovem organização que caminha para celebrar o seu 40º aniversario, com o mesmo vigor que vem conquistando ao longo das últimas décadas.
“Convivemos com um mercado cada dia mais exigente e devemos escutar as reivindicações, tanto dos remetentes como dos consignatários das mercadorias que transportamos e dotar as nossas organizações do necessário processo de modernização, para competir com eficiência e eficácia”, comenta Roberto Mira.
Nos últimos anos, o MIRA TRANSPORTES profissionalizou a metodologia de direção da organização: “Dispor de Diretorias profissionalizadas e de um Conselho Assessor Externo, que passa revista periódica sobre os resultados do negócio é uma forma de obrigar-nos estar sempre inovando, para não perder a liderança que tanto custou conseguir”, complementa Roberto Mira.
A empresa vem realizando importantes investimentos para dotar a organização com a infraestrutura necessária para oferecer um serviço de qualidade o qual é reconhecido tanto pelos remetentes como pelos destinatários finais das mercadorias transportadas.  Os principais investimentos que realizamos são: manter a idade de nossa frota, complementar a nossa oferta com caminhões agregados de elevado padrão, dispor do mais moderno sistema de segurança existente no mercado, dotar as nossas filiais da infraestrutura compatível para complementar os serviços realizados desde a coleta das mercadorias, realizar permanentes investimentos em sistemas informáticos e de apoio ao processo de decisão e dar permanente formação e informação aos nossos funcionários, os quais são o verdadeiro cartão de visitas de nossa organização.

“Temos que realizar os nossos trabalhos dentro da máxima regularidade na prestação dos serviços prestados. Por esse motivo nosso plano estratégico exige a realização de permanentes investimentos em tecnologia, rastreabilidade e monitoramento dos veículos em tempo real e o que é mais importante, na pro-atividade de nossas relações com os nossos clientes, alguns dos quais já operam com nossa organização desde o início de nossa atividade”, conclui Mira.

Sobre o Mira Transportes – O Grupo MIRA dispõe de duas divisões de negócios; o MIRA TRANSPORTES, empresa de transporte de carga e distribuição em todo o Centro-Oeste do país e a TARGET LOGISTICS, braço logístico do grupo especializado no desenho de soluções para as atividades de logística dedicada realizando todo tipo de atividades nos armazéns tais como: Picking, Packing, Gerenciamento Físico e Fiscal de Estoques, Preparação Especializada de Pedidos, Distribuição pelo sistema fracionado ou de carga completas tão como a gestão de logística reversa. A regular prestação de serviços de transportes para os segmentos da Industria Farmacêutica faz parte integrante da oferta de serviços prestados pela MIRA TRANSPORTES.

Informações:
Matriz São Paulo, SP - Rua São Quirino, 1.090 - CEP 02056-070
Telefone (11) 2142-9000
transportes@mira.com.br
www.mira.com.br

Informações para a imprensa:
Press Log Assessoria de Imprensa
Jornalista Claudio Lacerda Oliva
Telefone: 11 43296529 – São Paulo, Brasil

Principais motivos que devem levar uma empresa do segmento em contratar uma empresa especializada em Assessoria de Imprensa

Neste artigo, Roberto Lacerda Oliva, Diretor Geral das empresas, Press Log e Soma Log, ambas dedicadas aos segmentos de consultoria empresarial para os segmentos de Logística e de Transportes, aborda os principais motivos que devem levar uma empresa do segmento em contratar uma empresa especializada em Assessoria de Imprensa [...]

Temos feito um esforço considerável para transmitir aos empresários brasileiros a importância de buscar, de forma permanente, a diferenciação dos serviços oferecidos por suas empresas de Logística e de Transportes em relação aos seus competidores.
Entretanto devemos confessar nossa frustração; realmente temos que assumir que a atividade de la qual nos ocupamos ainda atua de forma muito embrionária.
Para que vou utilizar os serviços de uma empresa de Assessoria de Imprensa é a pergunta recorrente que nos faz os empresários do setor.
Portanto, de maneira reiterada, penso que é nossa obrigação apresentar, em forma de decálogo, os motivos que justificam a utilização de uma empresa especializada em Assessoria de Imprensa:
Em primeiro lugar através de um processo harmônico de comunicação a empresa transmitirá ao mercado respostas objetivas para as questões que costumam gerar duvidas na relação comercial do dia a dia.
Em segundo lugar o custo de uma visita presencial; normalmente realizada por um representante comercial da empresa é o suficientemente elevado para que o vendedor não tenha sua agenda de trabalho bastante planejada: os trabalhos de assessoria de imprensa geram interessante fluxo de visitas para os comerciais.
Em terceiro lugar não existe nada mais ético e eficaz que trasladar ao mercado informações através de notícias. Com um bom planejamento em assessoria de imprensa filtramos as informações que difundiremos sobre a nossa organização.
Em quarto lugar o valor de uma empresa também é formado pelo que alcança a sua identidade de marca junto ao mercado objetivo. Um trabalho pro ativo em geração de notícias sobre a empresa eleva a marcar de categoria.
Em quinto lugar é nossa obrigação como empresários, informar aos nossos clientes e prospectos las peculiaridades sobre os nossos produtos e serviços; informações tais como: estrutura operativa, acesso ao serviço de informação ao cliente, horários de funcionamento prazos médios de entrega podem fazer parte do sistema de comunicação da empresa com o seu mercado objetivo.
Em sexto lugar uma marca que está sempre em exposição será sempre requerida pelo usuário do setor de transportes.
Em sétimo lugar; o Brasil atravessa um período de retração comercial. O aspecto da concorrência será cada dia más acirrado; uma empresa não deve esconder-se num ambiente de crise; ao contrário, deve exibir-se.
Em oitavo lugar, não existe nada mais rápido e seletivo para alcançar um diálogo permanente com o nosso mercado objetivo que a circulação de notícias sobre a nossa empresa.
Estamos convencidos de que mediante um trabalho organizado de assessoria de imprensa uma empresa pode mudar de patamar comercial no qual está instalada.
Temos detectado situações extremamente prejudiciais para os interesses do setor; em alguns trabalhos de consultoria comercial que realizamos, observamos com tristeza a pouca inovação que existe no segmento.
Tivemos o cuidado de comparar 15 apresentações gerais de empresas, realizadas normalmente em formato PDF. Acreditem; dos 15 documentos estudados detectamos uma repetição de conteúdo o que determina a falta de iniciativa para conseguir um diferencial operativo em relação à concorrência.
A mesma situação constatamos quando estudamos tarifas de preços. Uma tarifa de preços deve refletir a política dos custos diretos e indiretos associados às operações; ao final desta avaliação as empresas incluem o Mark up com que querem operar e temos a política ou preços de venda.
Como esta afirmação é alto absolutamente elementar, qual é a lógica de copiar quase literalmente os preços do concorrente?
É sempre salutar colocar os critérios com que administramos as nossas empresas em revista.
Em nossa experiência cotidiana, nos esforçamos para transformar em notícias as informações que consideramos que os nossos clientes devem transmitir aos seus clientes e prospectos.
Portanto, preguntamos, questionamos, indagamos, queremos entender os processos como forma de transmitir ao mercado o verdadeiro diferencial de nosso cliente em relação à sua concorrência direta. Quando o cliente aprecia este diferencial a empresa começa uma escalada de independência operativa e comercial; não antes...

Roberto Lacerda Oliva tem a dupla nacionalidade, Brasileira e Espanhola. Dirigiu a divisão de serviços expressos da TNT no Brasil. Desde 1991 vive na Europa. Atualmente além de ocupar a posição de Diretor Geral da Press Log e da Soma Log participa no Conselho Assessor Externo da empresa brasileira ASSIMPTUR; www.assimptur.com.br da Dpuntos Scp; www.dpuntos.com e ocupa a posição de Assessor de Grandes Contas do grupo espanhol GrupoUnoCTC; www.grupounoctc.com

Evento internacional - Encuentro de Logística para conocer las estrategias de la que será la "supply chain" del futuro.

            Nuevas soluciones logísticas para un nuevo ciclo                                              

Alimarket organiza el 21 de mayo una nueva edición de su Encuentro de Logística para conocer las estrategias de la que será la "supply chain" del futuro.

http://www.alimarket.es/media/images/20131003/detalle_art/179639/42171_preview.jpg
                                                          IV Encuentro Alimarket Logística                                                        
"Nuevo ciclo, nuevas soluciones" es el lema del próximo Encuentro Alimarket Logística Gran Consumo, que Alimarket organiza el 21 de mayo, en el Auditorio Mapfre de Madrid, como un evento para la difusión del conocimiento entre los profesionales relacionados con la actividad logística. Afrontamos una fase económica en la que el sector de gran consumo espera crecimientos leves y, sin embargo, su operativa se hace cada vez más compleja. La logística tiene que atender nuevos requerimientos del consumidor, más referencias que manejar, más alternativas comerciales y canales de venta que cubrir, buscando una mayor integración entre todos los actores para optimizar la cadena. Además, a todo ello se suma que las empresas del sector también buscan fuera de nuestras fronteras una expansión para su negocio, ante las dificultades del mercado interior. La cadena de suministro, con agilidad y una mayor eficiencia, tiene que dar respuesta a las cambios en las necesidades de aprovisionamiento, producción y venta que deparará el nuevo ciclo económico.
En la jornada de conferencias programada por Alimarket para el próximo 21 de mayo se darán a conocer algunas de las nuevas propuestas y soluciones que marcarán esta "supply chain del futuro". Y, para ello, contaremos con la presencia de ponentes de primer nivel como Carmen Calvo, directora de planificación de la cadena de suministro de Makro; Encarna Pitarch, subdirectora comercial y responsable de logística de Anecoop; Rafael Amador, director supply chain división Europa de Grupo Calvo; Luciano García-Carrión, director general comercial de J. García Carrión; Ángel González, director general de Compañía Logística Acotral; José Luis López, director de desarrollo de negocio de Grupo Uno-CTC; Máximo Martínez, research manager en el Supply Network Innovation Center de Procter & Gamble; Jesús Rodríguez, director customer service de Danone; Jordi Rodríguez, supply chain manager de Bimbo Iberia; y Víctor Rovira, director de logística de Decathlon España.
Expertos, todos ellos, que plantearán las ideas e iniciativas que desarrollan en distintos ámbitos, referidas a proyectos de innovación en la cadena de suministro, experiencias de logística para la expansion internacional, programas de colaboración proveedor-distribuidor, centralización operativa, medidas de eficiencia en el transporte y posibilidades de optimización mediante la externalización de tareas, entre otros temas a tratar.
La cita, el 21 de mayo
Fabricantes, distribuidores y operadores logísticos relacionados con el gran consumo están citados para el próximo 21 de mayo en el Encuentro Alimarket Logística Gran Consumo que, tras la buena acogida de las anteriores ediciones, cumple su cuarta convocatoria. Un evento que, como siempre, también servirá para el intercambio de pareceres y puntos de colaboración entre los asistentes, profesionales y directivos relacionados con el gran consumo y la cadena de suministro.
Para la organización de este próximo Encuentro el 21 de mayo, en el Auditorio Mapfre de Madrid, Alimarket cuenta con el apoyo de LPR, Carreras Grupo Logístico y Transporeon Group, como patrocinadores; y de Witron y Grupo Uno-CTC, como colaboradores.
            Página web: www.logisticagranconsumo.com